VOO LUANDA-SÃO PAULO DESTA QUINTA-FEIRA

TAAG furta-se à responsabilidade e deixa passageiros dormir no chão frio do aeroporto

Um número indeterminado que, às 21H30 desta quinta-feira, 27, iria fazer o voo da Taag Luanda-São Paulo (Brasil) foi obrigado a passar mais de 15 horas no “Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro”, facto que obrigou alguns passageiros a dormirem no chão frio da sala de embarque devido à exiguidade de assentos na sala de embarque.

“O voo da Taag de quinta-feira as 21h30 para São Paulo (Brasil) não saiu até agora. Passageiros com crianças tiveram que dormir no chão do aeroporto porque o Serviço de Migração e Estrangeiro (SME) não tinha piquete para poder mandar os passageiros para casa. A Taag nem sequer mandou comida nem pôr os passageiros no hotel… Angola no seu melhor. E a novela da Taag continua… estamos entregues à bicharada”, contou um dos passageiros a este jornal.

Um jurista, que pediu o anonimato, ouvido pelo “Kwanza” afirmou que a Taag faltou à responsabilidade civil a que estão obrigadas todas as companhias aéreas quando há um cancelamento de voo sem aviso prévio aos seus passageiros.

“A companhia deveria acomodar os passageiros num hotel, ao invés de deixá-las à sua sorte como se não tivessem Direitos. O que a Taag fez é um abuso. Os lesados, caso  entendam, podem intentar um processo judicial contra Taag pelos eventuais danos causados pela ocorrência e descaso por parte da companhia de bandeira”, sublinhou.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *