HÁ MAIS DE TRÊS SEMANAS SEM ÁGUA

Governo de João Lourenço com dificuldades de saciar a sede de cidadãos na capital angolana

Centenas de cidadãos em Luanda percorrem há  mais de três semanas (ou mais) grandes distâncias à procura de água.
O facto acontece porque os bairros em que vivem estão privados do fornecimento de água pela EPAl, Empresa de Águas de Luanda.Moradores do Kilamba Kiax, Bairro Popular, Anangola, Rangel, Terra Nova, São Pedro da Barra e Petrangol estão afectados com a ausência de água nas suas torneiras, em casa, ou nos chafarizes nas suas zonas de residência.
Para alguns, a solução é pagar 250 kwanzas por cada bidao de 25 litros, comprados nos chamados kupakapas.
Os menos ” afortunados”, estes têm de pôr os recipientes e galgar longas distâncias.
Vladimir Bernardo,  porta-voz da EPAl, diz não haver corte de água nos bairros afectados, mas sim restrições, devido ao facto de haver trabalhos de manutenção na linha de alta tensão da estação de tratamento de agua de Cassaque.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *