ESPERANÇA

“Juventude está no centro da agenda de desenvolvimento da União Africana”, afirma comissária Josefa Sacko

A Comissária da UA para  o Departamento da   Agricultura , Desenvolvimento Rural, Economia Azul  e Ambiente Sustentável Josefa Correia Sacko, garantiu hoje, quinta-feira, 14, em Adis Abeba,  que a  juventude do continente está no centro da agenda de desenvolvimento da União Africana, especialmente ,por ser  a população mais jovem do mundo, com cerca de 420 milhões de pessoas com idades entre 15 e 35 anos.

Falando  por videoconferência no lançamento oficial das directrizes de  investimento para jovens no sistema agro-alimentar em África ,   durante  à 32ª Sessão da Conferência Regional da FAO para África, que a capital da Guiné Equatorial ( Malabo), alberga , assegurou que “é  esta população jovem que irá conduzir o futuro do continente, e , investir na juventude é fundamental para o desenvolvimento de África”,  asseverou.

Por outro lado,  frisou  que, os jovens já estão  a desempenhar um papel importante nos sistemas agroalimentares, seja como produtores, processadores , comerciantes de alimentos, como trabalhadores, inovadores e empresários, e como actores políticos.

Disse que apesar dos esforços concertados da União Africana e dos Estados Membros no apoio e facilitar a entrada e participação preferencial de mulheres e jovens em oportunidades de agro-negócio lucrativas e atraentes, através de iniciativas como a “Iniciativa Um Milhão até 2021” e a “Declaração de Malabo de 2014”, as mulheres e os jovens ainda estão sub-representados na maioria das actividades a jusante da cadeia de valor do agronegócio e, portanto, permanecem vulneráveis.

Enquanto isso,  fez saber , que  as tendências emergentes no continente e no mundo estão abrir  oportunidades para os jovens, incluindo a expansão das tecnologias digitais.

“Os jovens em África enfrentam desafios enormes e multidimensionais , tais como, a falta de  oportunidades de emprego,  habilidades e treinamento limitados, de acesso à informação, terra, financiamento e mercados,  especialmente em áreas rurais”, sustentou .

Outro aspecto que   agravou o déficit tem haver por conta das  restrições geradas pela pandemia da COVID-19, por isso,  acredita que os   desafios são  maiores para meninas e mulheres, especialmente , aquelas que vivem em zonas  rurais e propensas a conflitos.

Fez saber  que , a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação    ( FAO) e a Comissão da União Africana (CUA),  desenvolvem em conjunto as directrizes de Investimento para Jovens nos  sistemas Agroalimentares em  África afim de facilitar o seu  envolvimento no agronegócio.

Segundo a diplomata,  este  instrumento , vai  fornecer  passos operacionais concretos para direcionar e projectar programas de investimento sensíveis ,de forma a  engajar significativamente  os jovens como agentes da mudança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *