ANA SOUSA

Entre a arrogância e a ignorância

Entre cá e lá, esta semana li, perplexa, sobre as extraordinárias declarações de Francisco Pedro, jornalista e editor da Rádio Nacional de Angola (RNA).

Francisco Pedro teve um momento de absoluta franqueza, aquilo que o próprio pode considerar de grande honestidade. Assumiu publicamente que o líder da oposição não está no mesmo patamar do Presidente da República, saltando por cima de conceitos como a variação do previsível, do imprevisível e de ruptura.

O jornalista denunciou, mais do que as suas preferências políticas, um profundo desconhecimento do que é (ou deve ser) a actividade de um jornalista.

Esteve bem, muito bem, Luísa Rogério, a presidente da Comissão da Carteira e Ética, que ficou “chocada” com as declarações de Francisco Pedro, tal como ele fica “chocado” quando ouve dizer que os partidos de oposição devem ter, nos órgãos públicos, o mesmo tratamento do MPLA, e o convidou a abandonar a profissão. Claramente, em circunstâncias normais, não podia fazer menos. Em circunstâncias normais ou Francisco Pedro se demitia ou seria demitido.

Francisco Pedro fez questão de dizer, e sem qualquer pudor, que não é um jornalista, é outra coisa. E a sua pretensa honestidade revelou não só a sua imensa ignorância, ou, pelo menos, a sua enorme desonestidade intelectual, mas também o despudor e a sensação de impunidade que gozam os jornalistas dos órgãos comunicação social públicos ao serviço do partido do poder, completamente esquecido do óbvio e até da missão histórica que cabe aos media em qualquer país, em qualquer regime.

Francisco Pedro passou por cima do ‘acontecimento’, da ‘actualidade’, da ‘novidade’, do ‘interesse público’, ignorando os princípios básicos do jornalismo e demolindo, sem remorsos, o código deontológico, que ele não devia, até pelo exemplo, ignorar.

Sabemos que há muitos jornalistas que atropelam frequentemente o código deontológico, mas têm o bom-senso de ficarem calados. O que não foi o caso, em todo o esplendor da sua arrogância ou ignorância.

Fonte: Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *