Reconhecimento

Djaimilia Almeida vence prémio “Oceanos”

Djaimilia Almeida

A portuguesa Djaimilia Pereira de Almeida, autora de “Lisboa, Luanda, Paraíso”, venceu a edição de 2019 do Oceanos – Prémio de Literatura em Língua Portuguesa, cujo resultado foi anunciado nesta quinta-feira em São Paulo, no Brasil.

As autoras Dulce Maria Cardoso, de Portugal, que escreveu Eliete – A Vida Normal, e a brasileira Nara Vidal, autora de Sorte, foram distinguidas em segundo e terceiro lugar, respetivamente.

“Neste romance que narra o trajeto de pai e filho de Luanda para Lisboa – tendo como destino, em Lisboa, o “bairro de lata” (favela) de Paraíso -, Djaimilia Pereira de Almeida compõe, através de linguagem viva, um relato sensível sobre as ilusões e desilusões do mundo pós-colonial”, destacou o júri sobre Lisboa, Luanda, Paraíso, de Djaimilia Pereira de Almeida, uma história da diáspora.

Sobre Eliete, da escritora portuguesa Dulce Maria Cardoso, o júri salientou que o “exílio existencial e solidão de uma mulher de classe média estão impressos neste romance acerca do tédio da sociedade contemporânea, do vazio da vida urbana e das redes sociais”.

“Com uma linguagem austera, reduzida ao osso da palavra, o romance de Nara Vidal aborda a imigração para o Brasil no século XIX e a degradação da mulher em um ambiente marcado pela escravidão e pelo racismo”, indicou o júri, formado pelos portugueses Daniel Jonas e Manuel Frias Martins, e pelas brasileiras Eliane Robert Moraes, Maria Esther Maciel e Verónica Stigger.

A ministra da Cultura portuguesa, Graça Fonseca, felicitou já “vivamente” a escritora Djaimilia Pereira de Almeida, destacando o papel do prémio que “representa um diálogo fundamental entre as várias culturas que partilham a mesma língua, expressando, em simultâneo, a sua transversalidade e a força de diversos géneros literários, da prosa à poesia, promovendo a língua portuguesa como um património comum de vários países”.

Nesta sua 17.ª edição, o prémio Oceanos teve a participação de 1.467 concorrentes com obras lançadas por 314 editoras de 10 países.

O prémio é uma parceria do Banco Itaú com a República de Portugal, por meio do Fundo de Fomento Cultural Português, e com a CPFL Energia, contando ainda com o apoio do Itaú Cultural, do Instituto CPFL e do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde, bem como o apoio institucional da CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *