SÓNIA ROBALO

Senhor Insólito!

Há alguns anos atrás tirei uma foto a um senhor, amigo meu: o Jorge Eurico.

Quem conhece bem o Jorge Eurico, sabe que o insólito é o seu apelido. Com ele, tudo pode acontecer! Mas tudo MESMO.

Neste mesmo dia, numa manhã de sol, andávamos nós pelas ruas e ruelas da nossa Lisboa, quando decidimos entrar numa pastelaria para tomarmos o pequeno almoço.

A pastelaria cheia, mas lá conseguimos chegar a uma mesinha. Fizemos o pedido, o Jorge (Eurico) com a sua pose conhecida, bem sentadinho, com as costas direitas e o dedo mindinho bem esticado segurando o seu copo de sumo de laranja natural disse-me:

– Está ali uma senhora com o rabo à mostra!

E continuou a beber o seu suminho e a comer a sua torradinha como se não tivesse visto nada.

Eu, a pensar que ele estava a ” hiperbolar”, virei-me nunca pensando que iria ver com os meus olhos…LI TE RAL MEN TE…o que ele tinha acabado de dizer.

Estava de facto uma senhora com a saia na parte de trás completamente presa na camisola. A pobre senhora tinha o rabo à mostra.

Todas as pessoas riam, eu fiquei aflita levantei-me para a avisar e o Jorge (Eurico) continuou calmamente a saborear a sua torradinha e o seu suminho.

Depois de a senhora já estar composta e o Jorge (Eurico) já de barriga cheia fui efectuar o pagamento, mas pelo canto do olho vi-o a olhar…com um olhar muito penetrante…para os pés!!

Pensei com os meus botões:

– O que é que foi agora?

Aproximei-me e ele sem levantar os olhos dos pés disse com toda a tranquilidade:

– Olha…tenho um sapato de cada qualidade.

Eu aproximei-me, olhei para os seus pés com atenção e não é que era verdade. Tinha calçado um sapato de cada qualidade. Quem me conhece sabe qual foi a minha reação… Chorei de tanto rir…

O Jorge (Eurico)? Continuou com toda a sua calma, tranquilidade e descontração, com um sapatito de cada qualidade, deslizando tal qual um dançarino pela pastelaria afora e depois pelas ruas e ruelas de Lisboa.

A nossa vida era divertida sem o Jorge Eurico? Era, sim senhor.

Mas não era a mesma coisa.

Que Deus abençoe a tua calma e a tua descontracção Jorge (Eurico), quando for grande, também quero ser assim.

Fonte: Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *