Crônicas

Sentada familiar

Boa noite, primo Das Mangas. – Boa noite, primo Tupaliateka E essas estadias? – Estamos bem. Somente vós? Nós estamos como estamos, só não estamos lá onde não era pra estarmos porque os que estão lá, não estão a nos fazer estarmos onde estão por causa dos que estão a nos fazer sofrer o que …

Sentada familiar Leia mais »

A fome já nada tem de relativo!

1) Ontem, eram dez e picos da manhã, quando alguém me bateu a porta do chalé. Tratava-se de um meu parente muito chegado, que, estando a passar por momentos menos bons (desempregado, estará a ver o diabo a assar sardinhas para sobreviver, junto do filho de três anitos com que se atrelou, porque, como diz, …

A fome já nada tem de relativo! Leia mais »

Senhor Insólito!

Há alguns anos atrás tirei uma foto a um senhor, amigo meu: o Jorge Eurico. Quem conhece bem o Jorge Eurico, sabe que o insólito é o seu apelido. Com ele, tudo pode acontecer! Mas tudo MESMO. Neste mesmo dia, numa manhã de sol, andávamos nós pelas ruas e ruelas da nossa Lisboa, quando decidimos …

Senhor Insólito! Leia mais »

Será que ainda vives Hakizimana?

Hakizimana intrigou-me desde que nossos olhares se cruzaram no corredor de uma pensão de segunda categoria na colina de Nyamirambo. Foi um dia que já deixei perdido na névoa do passado. O menino escondia catorze anitos num corpo seco e longilíneo, com os ossos salientes bem marcados na pele negra e brilhante. Os seus olhos …

Será que ainda vives Hakizimana? Leia mais »

Lisboa Mestiça

Abro uma plataforma de música, escolho um tema da minha preferência e deixo correr. Entre outros de que gosto, surgiram «Nova Lisboa», de Dino d’Santiago, «Coisas Bunitas» de Sara Tavares, e «Reserva Pra Dois» de Branko, com Mayra Andrade. Paro para pensar no fio condutor que os algoritmos destas plataformas me trazem. E dou-me conta …

Lisboa Mestiça Leia mais »

Natal na “fiotelandia”

Nós, os fiotes das terras do Makongo, Mangoyo e Maloango; nós, os flagelados do vento Norte; nós, os enteados de uma história madrasta; também celebramos o Natal do Deus feito HUMANIDADE para habitar entre nós. O Natal é uma fonte espiritual onde os fiotes vão renovar as suas esperanças por uma vida melhor na cidade …

Natal na “fiotelandia” Leia mais »

O pó do Natal

I will honor Christmas in my heart, and try to keep it all the year. – Charles Dickens Sentado de costas para a janela da minha sala, reparo no Pai Natal da minha mãe. É um velho de longas barbas brancas e óculos de aros redondos. Está aqui comigo o ano inteiro. Tenho pouco espaço …

O pó do Natal Leia mais »