COORDENADOR DO PARE

Fernando Martins diz que inimigos da Pátria são protegidos pelo MPLA e pela UNITA

Fernando Martins sublinha, no seu escrito, que o MPLA e a UNITA são organizações onde os inimigos da pátria sempre se refugiaram. “Já é moda culpar o MPLA por todas coisas erradas que o país vive. Já foi moda culpar a UNITA também. Todas malandrices de Angolanos e estrangeiros, em Angola, eram transferidas para a UNITA. MAS AFINAL DE CONTAS QUEM É A SENHOR MPLA E QUEM É A SENHORA UNITA? A UNITA foi sempre bode expiatório do MPLA e o MPLA bode expiatório da UNITA. Estes dois partidos justificam os seus insucessos acusando-se um ao outro. Se por um lado o MPLA nunca conseguiu governar bem, a UNITA nunca chegou ao poder. O MPLA justifica que não conseguiu governar bem por causa da UNITA e a UNITA diz que nunca chegou ao poder por causa das traições do MPLA”, escreve o engenheiro Fernando Martins.

Eis, na íntegra, o apontamento do engenheiro Fernando Martins:   

“MPLA e a UNITA são organizações onde os inimigos  da pátria sempre se refugiaram.

Angolano desperta e lute hoje!

By: Fernando Martins

Já é moda culpar o MPLA por todas coisas erradas que o país vive. Já foi moda culpar a UNITA também. Todas malandrices de Angolanos e estrangeiros, em Angola, eram transferidas para a UNITA.

MAS AFINAL DE CONTAS QUEM É A SENHOR MPLA E QUEM É A SENHORA UNITA?

A UNITA foi sempre bode expiatório do MPLA e o MPLA bode expiatório da UNITA. Estes dois partidos justificam os seus insucessos acusando-se um ao outro.

Se por um lado o MPLA nunca conseguiu governar bem, a UNITA nunca chegou ao poder.

O MPLA justifica que não conseguiu governar bem por causa da UNITA e a UNITA diz que nunca chegou ao poder por causa das traições do MPLA.

Estes dois partidos, sem vergonha e sem visão, sempre mandaram muita lábia e arrogância para escamotear a incompetência e acobertar malandros com nomes no vazio dos nomes de suas organizações.

Os Angolanos, infelizmente, sem preparo, sempre acreditaram na estratégia de gente do mal em acobertarem-se por detrás dos nomes destes partidos.

No início do mandato do presidente João Lourenço vislumbrava no fundo do túnel uma luz verde que iluminava o caminho da responsabilização individual dos crimes que, infelizmente, apagou-se e o véu “dos nomes colectivo” para escamotear ações criminosas de indivíduos continua …

Mas quem é a senhora MPLA e que é a senhora UNITA de que tanto se fala? Podemos colocá-los na cadeia e nunca mais saírem?

Angolanos e Angolanas, militantes e apoiantes destes partidos, abram os olhos porque vocês estão a ser cúmplices na proteção de gente do mal em nome das vossas/nossas organizações.

Proposta de resolução:

Mas o desenvolvimento de um país só depende destes dois partidos?

Temos de revolucionar o nosso pensamento político.

Revolução já!

Temos de começar a esquecer estes dois partidos e em Agosto de 2022 surpreendermos com o voto longe destes dois maquiavélicos que a nossa juventude teima em apoiar.

Sugestões:

Qual seria o papel dos jornalistas?

Qual seria o papel dos magistrados?

Qual seria o papel dos órgãos de defesa e segurança?

Qual seria o papel dos sindicatos?

Qual seria o papel das ordens profissionais? (médicos, engenheiros, professores, advogados, enfermeiros etc.)

Qual seria o papel das associações

Qual seria o papel dos cidadãos?

Cada grupo deve começar a mobilizar para se extinguir, do activo, estas dias forças políticas e colocá-los no seu lugar de glórias que é a História.

Os jornalistas, magistrados e os órgãos de defesa e segurança deveriam comandar está revolução pacífica.

Já sei que os jornalistas, tanto da pública como os das privadas ganham uma miséria e com a proibição de que não podem fazer publicidade tornou insustentável a sua situação de mendicidade. Isto justifica que os jornalistas sejam defensores de coisas erradas?

Os juristas, advogados e magistrados que deveriam ser os guardiões da lei e do direito também estão sem integridade e a venderem-se para a promiscuidade intelectual que nem “prostitutas” famintas.

Os órgãos de defesa e segurança não conseguem se libertar dos fantasmas do monopartidariamo e não têm na defesa do Estado a sua maior missão.

Nós, os cidadãos, fomos mal preparados etc.

“SOMOS TODOS CÚMPLICES” porque permitimos os malandros fazerem o que querem como disse João Lourenço num dos seus discursos. João Lourenço chegou a exigir que seus camaradas agradecessem a passividade do nosso povo.

Com base nesta exposição, vamos identificar outros culpados para, sobretudo, avançar soluções para a construção da nossa noção com princípios e valores que tornem Angola um país bom para se viver.

NENHUMA ORGANIZAÇÃO POLÍTICA LUTARÁ PARA O ALCANCE DO BEM COMUM NUMA SOCIEDADE EM QUE OS INTELECTUAIS SÃO IGNORANTES.

Não é uma tarefa fácil sobretudo por sermos famintos. Famintos são, normalmente, dependentes e propensos a serem dominados, mas com a graça de Deus conheceremos a verdade e a verdade nos libertará pois NÃO É SÓ DO PÃO QUE VIVE O HOMEM.

Fernando Martins- 17 de Janeiro 2022”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *