POR DÍVIDAS CONTRAÍDAS EM NOME DO ESTADO ANGOLANO

Administração Lourenço abandona operativo da Casa Militar em cadeia de alta segurança na Eslovaquia

Um cidadão angolano de nome Carlos Sebastião da Silva encontra-se preso numa prisão de alta segurança na cidade de Trnava, em Bratislava, República da Eslováquia desde 27.11.20, por dívidas avaliadas em mais de seis milhões euros, contraídas em nome do Governo de Angola.

Representante da então Casa de Segurança do Presidente da República na Eslováquia, Carlos Silva começou a viver o martírio, quando, em nome do Governo de Angola, ainda vivencia do antigo presidente José Eduardo dos Santos, efectuou a compra de equipamento para as Forças Armadas Angolana (FAA), com a garantia de que o pagamento seria feito a posteriori.

O jornal “O Kwanza” sabe que Carlos Silva escreveu para o antigo presidente que, por seu turno, no seu despacho orientou o chefe da Casa de Segurança que resolvesse todos pendentes, como o pagamento da dívida orçada em mais de seis milhões de euros, reenquadramento do quadro e respectivo pagamento dos salários em atraso e atribuição de uma residência, o que não aconteceu.

Já no consulado de João Lourenço, Carlos Silva escreveu, de novo, para a presidência, concretamente para o PR, em Dezembro de 2019.  Em Janeiro de 2020, no seu despacho, o Presidente João Lourenço orientou o Chefe  da Casa Militar que desse solução ao assunto, o que não se verificou.

Tendo terminado a comissão de serviço, o funcionário que ingressou em 1987 na Casa de Segurança do Presidente da República, nao regressou ao país por falta de bilhete de passagem, dos seus salários e outros subsídios constantes na lei, que permitissem o seu regresso.

Carlos Silva é mestre em Ciências Econômicas, Comércio, Turismo e Serviços na Faculdade de Comércio da Universidade de Bratislava.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *